sábado, 1 de dezembro de 2012

Redação de um SGT da PMERJ à Polícia Militar.



A RETOMADA DA CONFIANÇA DE COMUNIDADES CONFLAGRADAS.

Em princípio podemos afirmar, que a implantação de um policiamento comunitário junto as comunidades conflagradas buscando a retomada de sua confiança para com a Polícia Militar, deve e precisa ser um procedimento implantado através da evolução e não de uma revolução.
Segundo pesquisa divulgada pelo “JORNAL O GLOBO “ em 14 de janeiro de 2010, nos últimos 10 anos morreram mais de 1.500 policiais, entre policiais militares, civis e federais.
Só no estado do Rio de Janeiro em 8 anos do Governo Rosinha/Garotinho foram mortos 177 policiais civis e militares.
Por outro lado o poder público Municipal, Estadual e Federal nos governos anteriores a gestão presidencial Petista não investiram em conformidades com as previsões orçamentarias destinadas aos planos de expansão das cidades e na prevenção e repressão aos crimes e delitos de modo em geral.
Lógico! Não é difícil de se prever que as comunidades mais fracas iriam ser as mais atingidas. 
Daí sendo logicamente as mais reprimidas e usadas pelos narcotraficantes “autorizados” pelo executivo, onde policiais corruptos pouco se importam saber que contribuem para a violência.
Sem falar no legislativo, onde diversos políticos são financiados pelos narcotraficantes visando as suas proteções nas legislações vigentes, evitando suas mudanças.
Por outro lado vem o horrível sistema penitenciário tão abandonado pelos governantes, como também a legislação direcionada a proteção dos poderosos, conforme uma declaração de uma representante da ONU a respeito do nosso vergonhoso Código Penal, onde todo cidadão, devido suas prerrogativas, tem o direito de pelo menos cometer um assassinato e responder em liberdade.

Claro! Agora a exemplo da Colômbia, buscasse usar a Polícia Militar como um veículo de aproximação da população para com a instituição Policial, em forma de conta-gotas, para resgatar seu crédito, evitando assim a sua falência com a desmilitarização, ou modificação de base, criando UPPs, Policiamento Comunitários e etc, e consequentemente muitas vezes desviando seus integrantes de seu primordial compromisso legal, A REPRESSÃO E A PREVENÇÃO AOS ILÍCITOS PENAIS, afastando-os de suas primordiais funções e disponibilizando-os em diversos órgãos públicos principalmente, Estadual e Municipal em detrimento da sobre carga de funções dos Militares que exercem seus trabalhos diários.  

Redação do 1.SGT TEIXEIRA, para a percepção do POPP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A sua visita é importante, seu comentário muito mais.
A sua mensagem não passa por autorização do moderador, portanto comente com responsabilidade a não violar as regras do blog.
Att. o Administrador.