domingo, 28 de abril de 2013

DÍVIDA DO BRASIL: Olha a bomba que vai estourar! Tu vai pagar isso!

Colaboração Oscar Vilete Chudo.

Olha a bomba que vai estourar! Tu vai pagar isso!

Não é brincadeira !!!     
Vocês sabiam disso ?
 Olha a bomba que vai estourar lá por 2015!!!!!!
Só falta  a CEF e BB darem o cano na hora da quebradeira !!!!

 Leiam e observem a análise ponderada, Muito bem explicada pelo Economista  Waldir Serafim.
SAIBA O QUE LULA FEZ DE 2002 A 2010 COM A "DIVIDA INTERNA/EXTERNA" DO BRASIL
Você ouve falar em
DÍVIDA EXTERNA e DÍVIDA INTERNA
Em jornais e TV e não entende direito vamos explicar a seguir:

DIVIDA EXTERNA 
é uma dívida com OS Bancos, Mundial, o FMI e outras Instituições, no exterior em moeda externa.
DIVIDA INTERNA é uma dívida com Bancos em R$ (moeda nacional) no país.
Então, quando LULA assumiu o Brasil,
Em 2002, devíamos
:
 üDívida externa =     212 Bilhões
ü
Dívida interna =      640 Bilhões

üTotal DA Dívida =  851 Bilhões 


Em 2007 Lula disse que tinha pago a dívida externa. E é verdade, só que ele não explicou que,
Para pagar a dívida externa, ele aumentou a dívida interna:

Em 2007 no governo Lula
:
ü
Dívida Externa =      0    Bilhões üDívida Interna =    1.400 Trilhão üTotal DA Dívida = 1.400 Trilhão Ou seja, a Dívida Externa foi paga, mas a dívida interna quase dobrou. Agora, em 2010, você pode perceber que não se vê mais na TV e em jornais algo dito que seja convincente sobre a Dívida Externa quitada. Sabe por que?
É que ela voltou...
Em 2010 no governo Lula: üDívida Externa    =     240  Bilhões üDívida Interna    =   1.650 Trilhão
üTotal DA Dívida =  1.890 Trilhão

Ou seja, no governo LULA, A dívida do Brasil aumentou em 1 Trilhão!!!
 Daí é que vem o dinheiro que o Lula está gastando no PAC, Bolsa família, Bolsa educação, Bolsa faculdade, Bolsa cultura, Bolsa para presos, dentre outras mais bolsas...E de onde tirou 30 milhões de brasileiros da pobreza !!!
E não é com dinheiro do crescimento,
 Mas sim, com dinheiro de ENDIVIDAMENTO.

Compreenderam?
Ou ainda acham que Lula é mágico?

 Quer mais detalhes,sobre dívida interna e externa do Brasil?Acesse o siteDivida Interna Perigo e Divida Interna Perigo II



Os brasileiros, vão pagar muito caro pela atitude perdulária do governo Lulla, que não está conseguindo pagar os juros dessa
"Dívida trilhardária", tendo que engolir um "spread"(txa. Juros

muito caro para refinanciar os "papagaios", sem deixar nenhum benefício para o povo, mas apenas DIVIDAS A PAGAR por todos OS brasileiros que pagam seus impostos...!!! A pergunta que não quer calar é: Dilma vai continuar esta gastança?
REPASSE PELO BEM DO PAÍS!
 ACORDA  BRASIL !!!
Para maiores esclarecimentos, leia artigo de Hélio Fernandes no site:Tribuna da Imprensa


CADA cidadão brasileiro tem uma dívida , feita pelo Lula, de quase 1.0 MILHÃO DE REAIS. 
Entenderam porque querem ressuscitar a CPMF?

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Ação pauliana não pode atingir negócio jurídico celebrado por terceiros de boa-fé. Ação pauliana – processo movido pelo credor contra devedor insolvente que negocia bens que seriam utilizados para pagamento da dívida numa ação de execução.


DECISÃO
Não pode prejudicar terceiros que adquiriram esses bens de boa-fé. Assim, na impossibilidade de desfazer o negócio, a Justiça deve impor a todos os participantes da fraude a obrigação de indenizar o credor pelo valor equivalente ao dos bens alienados.

O entendimento foi firmado pela Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em julgamento de recurso relatado pelo ministro Luis Felipe Salomão. A controvérsia foi suscitada pelos compradores de três terrenos negociados pela empresa Alfi Comércio e Participações Ltda. A venda dos imóveis havia sido anulada pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), em ação pauliana ajuizada pelo Banco do Brasil.

Fraude

No caso julgado, ficou constatada fraude contra o banco, credor de dívidas no valor de R$ 471.898,21 oriundas de cédulas de crédito industrial contratadas em 1995 pela Pregosul Indústria e Comércio Ltda., cuja falência foi decretada.

Segundo os autos, um casal de fiadores da Pregosul deu os imóveis em pagamento à Companhia Siderúrgica Belgo Mineira. Depois, dentro de um acordo judicial, ficou acertada a devolução dos imóveis. Porém, a pedido do casal, em vez de retornarem para seu patrimônio pessoal, os bens foram transferidos pela Belgo Mineira à empresa Alfi Comércio e Participações, constituída apenas dois meses antes em nome da filha do casal. Por fim, a Alfi vendeu os imóveis a terceiros.

Conforme constatado pelas instâncias ordinárias, a Alfi foi criada especificamente para receber a propriedade dos imóveis e evitar que tais bens ficassem sujeitos a penhora na execução das dívidas.

Na primeira instância, a ação pauliana do Banco do Brasil foi julgada procedente, para anular todos os atos jurídicos fraudulentos e declarar sem eficácia a venda dos imóveis pela Alfi aos últimos adquirentes, mesmo reconhecendo que estes agiram de boa-fé. De acordo com as conclusões do juiz, a Belgo Mineira sabia da situação do casal e teve participação ativa na fraude.

Quanto aos últimos compradores, o juiz afirmou que teriam de buscar indenização por perdas e danos em ação própria. O TJRS manteve a decisão.

Recurso

Em recurso ao STJ, os compradores alegaram, entre outros pontos, que os imóveis foram adquiridos “na mais cristalina boa-fé” de uma empresa que não possuía qualquer restrição, ônus ou gravame; e que a transação foi cercada de todas as cautelas e formalizada com auxílio e orientação de corretor de imóveis, o que impediria a anulação do negócio.

Com base em precedentes e doutrina sobre o instituto da fraude contra credores, o ministro Luis Felipe Salomão afirmou que os últimos compradores, cuja boa-fé foi reconhecida na sentença, não poderiam ser prejudicados pelo desfazimento do negócio.

Segundo o ministro, como houve alienação onerosa do bem, a solução adotada pelo TJRS contrariou dispositivo legal que estabelece que, anulado o ato, as partes serão restituídas ao estado em que antes se encontravam, e não sendo isso possível, o credor será indenizado no valor equivalente.

Sem volta

“Em concordância com o decidido no Recurso Especial 28.521, relatado pelo ministro Ruy Rosado, cabe resguardar os interesses dos terceiros de boa-fé e condenar os réus que agiram de má-fé”, destacou o relator em seu voto.

Salomão lembrou que, naquele caso, o STJ aplicou por analogia o artigo 158 do Código Civil de 1916, vigente à época dos fatos (correspondente ao artigo 182 do código atual), para concluir que, se o autor da ação pauliana pediu a anulação dos atos fraudulentos, o que ele pretende em essência é recompor o patrimônio do devedor.

“Inviabilizado o restabelecimento do status quo ante, pela transferência do bem a terceiro de boa-fé, inatingível pela sentença de procedência do pedido, entende-se que o pleito compreendia implicitamente a substituição do bem pelo seu equivalente”, disse o ministro. Nesses casos, acrescentou, cabe condenar todos os que agiram de má-fé a indenizar o autor da ação pauliana, porque contribuíram para a insolvência do devedor.

Assim, de forma unânime, a Turma deu parcial provimento ao recurso dos compradores, para condenar o casal de fiadores, a Alfi e a Belgo Mineira a indenizar o Banco do Brasil pelo valor equivalente aos imóveis transmitidos em fraude contra o credor, a ser apurado em liquidação. 

sexta-feira, 19 de abril de 2013

LENES COIFFEUR - BRASIL-RJ, CBMERJ: 14 Fotos da orgia dos Bombeiros realizando fantasia sexual dentro do quartel no Rio, Réus, ANDERSON LUIZ SANTANA MACHADO, VAGNER DA SILVA OLIVEIRA PMERJ: Hackers divulgam lista, Veja se vc está nesta Lista completa de 50 MIL PMs do RIO, com CPFs e endereços.



Nota: Essa postagem foi feita em 19/04/2013 e nesta data 21/04/2014 já conta com 38.391 acessos

Esse blog tem o patrocínio de   www.lenescoiffeur.com.br a BELEZA EM PESSOA.

O recanto de celebridades e o encanto da noivas cariocas de bom gosto.




Sofisticação e atendimento personalizado.


Ambiente saudável.

Tel.  21-3496-4789  e 21 5496-4760 Rua Almirante Cochrame n. 288 LJ 04 Tijuca.

_________________________________________________________________________________

NOTÍCIAS com 17 foto da orgia no quartel dos Bombeiros do Rio.

Nem sempre onde há fogo há fumaça.

Às 23h do dia 22 de junho de 2012, um incêndio varreu o 4º Grupamento de Bombeiro Militar (Nova Iguaçu). O fogo no quartel, entretanto, só queimou a carreira de um cabo da corporação. Ele e um casal combinaram um encontro por meio da internet e colocaram em prática fetiches sexuais atrás de viaturas da unidade. Até uma escada Magirus da corporação foi usada na estripulia sexual do trio. A festa, todavia, não acabou bem para o militar: o cabo — e um sargento, também de plantão — foram denunciados pelo Ministério Público.
A informação foi divulgada na terça-feira, pela coluna “Justiça e Cidadania” do jornal “O Dia”. Além do cabo, um sargento bombeiro — que teria autorizado a entrada do casal no quartel — foi denunciado por crime de praticar, ou permitir que com ele se pratique ato libidinoso, homossexual ou não, em lugar sujeito à administração militar. A pena varia de seis meses a um ano.

De acordo com os diálogos do site de fantasias sexuais que o casal mantinha, o cabo, denominado “Bombeiro dotado” sugere: “Passa lá no quartel amanhã”. O casal, com o apelido de “Ksal fetiche”, responde: “Fazer o que no quartel? Loucão!”.


Em nota, a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros informou que, ao tomar conhecimento dos fatos, a corregedoria da corporação instaurou um inquérito e prendeu os militares administrativamente. Leia a íntegra do informe:

"No primeiro trimestre de 2012, a Corregedoria Interna do CBMERJ teve ciência de um site de conteúdo erótico e que relatava o envolvimento de militares do 4º GBM – Nova Iguaçu. Imediatamente foi instaurado o Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar os fatos. Em seguida os militares foram sancionados com vinte e trinta dias de prisão. Quanto ao crime militar, os autos do Inquérito foram remetidos à Promotoria de Justiça junto à Auditoria de Justiça Militar do Estado do Rio de Janeiro que ofertou denúncia contra os militares."

Clic abaixo em mais informações para ver as fotos.


sexta-feira, 12 de abril de 2013

Para o Ministro da Justiça a PM ganha mau.


Para ministro da Justiça, segurança pública deve ser política de Estado

Cardozo fez diagnóstico dos problemas e respondeu a questionamentos
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, esteve na Assembleia Legislativa, na tarde de 11/4, para participar de audiência sobre segurança pública. Cardozo, acompanhado de comitiva de deputados estaduais, foi recebido pelo presidente Samuel Moreira que, ao abrir a audiência, destacou a importância do debate sobre a questão. 
A reunião foi conduzida pelo líder da bancada do PT, Luiz Claudio Marcolino, que afirmou que a Assembleia não pode se furtar ao debate sobre a violência, que é um dos maiores problemas brasileiros. O ministro fez um diagnóstico dos problemas da segurança pública, e depois respondeu a questionamentos do público presente. 
Para Cardozo, a sociedade exige o enfrentamento dos problemas de segurança pública. No Brasil, disse, nenhum Estado atende aos padrões da ONU no quesito mortes por habitantes. "Esse é o desafio a ser enfrentado pelos governantes, que precisam saber que segurança pública é uma política de Estado, e não de governantes que dependem de eleições a cada quatro anos". 
A violência tem origem em várias causas, como exclusão social, preconceito, consumo de drogas lícitas e ilícitas, impunidade e a própria cultura da violência explorada pela mídia e jogos, disse o ministro. "Tudo isso alimenta o crime organizado, que é sustentado também pela corrupção." 
A isso se somam problemas estruturais, como má gestão, falta de integração e diálogo entre os órgãos policiais. Também falta informação, pois as estatísticas não são confiáveis. Ainda são problemas a má remuneração dos policias e as péssimas condições de encarceramento, que ferem os direitos humanos e não recuperam ninguém. 
A orientação do Ministério da Justiça é atuar com federalismo e transparência pra resolver estes problemas, disse Cardozo. Para isso, está sendo investido R$ 1,1 bilhão em novas unidades prisionais, e estão sendo implementados projetos como educação e saúde para os detentos. Outras medidas visam melhor vigilância das fronteiras, e atuação em estados com altos índices de criminalidade, como Alagoas. 
Políticas integradas 
George Melão, presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, afirmou que a busca de soluções adequadas para as várias falhas da segurança pública passa pela oitiva das categorias profissionais que lidam no dia a dia com o problema. 
Ele localizou os problemas atuais de segurança na Constituição de 1988, que determinou que a segurança pública ficasse a cargo dos Estados, o que gerou políticas soltas. "São Paulo, por exemplo, criou a Polícia Científica, que usa a estrutura da Polícia Civil, mas não tem sequer orçamento próprio. O governo paulista mostra descaso e falta de uma política de segurança pública, e também não investe em educação e saúde, principalmente nas periferias, permitindo que a criminalidade tome conta." 
Os projetos de segurança que têm sido implementados em Minas Gerais, Pernambuco e Rio de Janeiro foram descritos por Guaracy Mingardi, analista criminal. A ausência de participação dos municípios e das guardas municipais, a não ser como financiadores, é um dos motivos pelos quais os projetos não funcionam a médio e longo prazos, afirmou Mingardi. 
O presidente estadual do PT, deputado Edinho Araújo, disse que a questão da segurança pública é um desafio imenso no Estado de São Paulo, daí a importância do debate e da busca de soluções. Olímpio Gomes (PDT) lamentou que policiais civis e militares continuem sendo assassinados no Estado. Reclamou ainda dos salários aviltantes, pedindo a aprovação do piso nacional e preocupou-se com um possível vexame em termos de segurança pública na Copa do Mundo. 
Para Alencar Santana (PT), o Estado vive uma grande crise de segurança. Ele ainda considerou um contrassenso determinação estadual que impede policiais de socorrerem vítimas. Para Isac Reis (PT), a falta de uma perspectiva de futuro leva os jovens ao crime. 
Diversos deputados de vários partidos acompanharam a audiência. Estavam presentes prefeitos, vereadores, representantes de sindicatos de categorias policiais e assemelhados e também representantes da sociedade civil.
ALESP

Obs: No Rio de Janeiro, o Governador Sérgio Cabral foi o melhor Governador dos últimos 30 anos para o funcionalismo público, principalmente para a área da segurança.
Hoje um Soldado PM se aposenta como SUB TEN com 30 anos de serviço recebendo R$ 7.800,00.
Durante o desempenhar de sua função recebe entre outros benefícios, Vale transporte e auxílio moradia em dinheiro de R$500,00 para pagar aluguel em qualquer cidade do Estado.
Só mora na favela se quiser. 

quinta-feira, 11 de abril de 2013

PMERJ: PM finge suborno e prende traficante.


Vídeo mostra policial fingindo receber propina para flagrar suborno do tráfico

Rio -  Um vídeo divulgado pela Polícia Militar mostra um policial fingindo aceitar propina de um traficante no Morro da Mangueira, aréa de uma das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), para flagrar o suborno do crime organizado no local. Três acusados foram presos até o momento.
A operação conjunta do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar do Estado do Rio busca cumprir seis mandados de prisão, nesta terça-feira. 
Veja o vídeo abaixo.
Foram denunciados por oferecer propina e por associação para o tráfico, o gerente das bocas de fumo na Mangueira, Jean Carlos Ramos Tomaz, conhecido como Beni; os irmãos Wagner Palomo Ferreira, o Waguinho, e Marcelo Palomo Ferreira, administradores de um bar que atuavam para facilitar o comércio de drogas na região; e Claudio de Oliveira Dias, o Belo.
O MP também denunciou por associação para o tráfico Alexandro Costa Borges, conheido como Sandro Negão, homem de confiança do gerente da boca; e o motoboy Jony Ramos, o Jony, responsável pelo transporte de drogas na Mangueira.
A tentativa de corrupção ocorreu no dia 13 de agosto de 2012 quando Wagner Palomo Ferreira, dono de um bar na Mangueira ofereceu propina a um policial militar que atua na UPP da comunidade. O objetivo era evitar o patrulhamento do local e a repressão ao tráfico de drogas. A oferta foi comunicada ao comando da UPP, que começou a operação para identificar os demais criminosos.
As negociações foram feitas por meio de um telefone comprado por Marcelo, irmão de Wagner e sócio do bar, e entregue ao policial. No dia 8 de setembro, Marcelo avisou que o contato seria feito por volta de 20h. De acordo com as investigações, o traficante Jean Carlos informou ao PM sobre o acordo e perguntou sobre o valor desejado “para que ele não atrapalhasse os negócios”. Em continuidade à ação controlada, o policial infiltrado garantiu que não haveria patrulhamento ostensivo no local.
Jean voltou a entrar em contato com o agente no dia 24 de setembro, reclamando que as viaturas da UPP estariam atrapalhando o negócio. Em seguida definiu o valor de R$ 700,00 para facilitar as atividades ilícitas da boca de fumo da localidade. O dinheiro foi entregue pelo denunciado Cláudio de Oliveira Dias em um bar no bairro do Maracanã. A negociação e a entrega do dinheiro foram filmadas pela polícia.
A ação contou com agentes da Coordenadoria de Inteligência da PM e da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI) do MPRJ. Os presos serão encaminhados para a 17ª DP (São Cristóvão). A denúncia é assinada pelos promotores Rogério Lima Sá Ferreira e Marcelo Muniz Neves e pelo Coordenador do GAECO, Alexandre Themístocles de Vasconcelos.

O DIA

terça-feira, 9 de abril de 2013

PM: Tenente é conduzido para a DP.


Tenente é levado para delegacia e policiais militares protestam, em GO


Policiais militares cercaram o 8º Distrito Policial de Goiânia em forma de protesto a ação de agentes da delegacia, que apreenderam a arma de um tenente e o levaram para prestar esclarecimentos no local. Os manifestantes, que estavam em 18 carros, declararam que a atitude foi abusiva. O tenente estava em um bar da capital quando foi abordado, na madrugada de sábado (6).
O delegado que comandou a ação "Tolerância Zero", Waldir Soares, informou que a arma não tinha registro e o policial estava bebendo, o que é proibido pelo estatuto do desarmamento. "Temos diversos policiais que cumprem a lei. Outros preferem a noite e têm que responder pelos seus atos, como qualquer pessoa comum", afirma o titular do 8º DP.
A assessoria de impresa da Polícia Militar defendeu o tenente. "Todas essas acusações serão objeto de apuração, mas, por enquanto, não existe nada que indique que o policial estivesse cometendo qualquer tipo de desvio de conduta ou atitude criminosa", ressalta o tenente-coronel Anésio Barbosa.
O comando da PM acompanhou a opinião dos manifestantes e enviou uma nota de repúdio à imprensa, classificando o comportamento do delegado como abusivo e contrário aos princípios básicos de urbanidade e respeito. “A Polícia Militar buscará a reparação dos danos e abusos sofridos nas esferas administrativa, penal e civil”, informa a nota. O documento considera ainda o episódio como lamentável e um fato isolado.
Em resposta ao posicionamento do comando da PM, o delegado Waldir Soares afirmou que se trata de um documento  corporativista. “A sociedade não pode aceitar a censura ou alguém que esteja acima da lei”, declarou.
A corregedoria da Polícia Militar já está averiguando o caso. “A princípio, não vimos irregularidade na conduta do tenente, mas continuaremos apurando os fatos”, afirma o corregedor, Lourival Camargo.
O delegado Waldir Soares disse que vai pedir ao Ministério Público de Goiás que acompanhe as investigações. (G1).

PMERJ: PM tenta suicídio.


POLICIAL MILITAR APÓS TER CRISE NERVOSA, COLA A ARMA NA BOCA PARA SE MATAR


Policiais militares de Sergipe podem estar trabalhando no limite de suas capacidades psicológicas e fisicas e com isso colocando em risco suas vidas, dos companheiros e até da população. Alguns PMs reclamam das escalas e principalmente da falta de atendimento por parte do Núcleo de Apoio Psico Social (NAPS), que parece não funcionar ou estar desativado.
Um policial militar após ter uma crise nervosa por conta do estresse do trabalho, por pouco não comete suicídio dentro da 3ª companhia do 1º Batalhão de policia militar em Aracaju.
O soldado da policia militar Clédson, 30 anos, teve uma grande crise emocional na manha desta segunda-feira (08), no 3ª companhia do 1º Batalhão de policia militar, onde se encontrava de serviço. Cledson teria ficado tão agitado que acabou colocando o cano da arma dentro de sua boca com a intenção de cometer suicídio.
O policial só não conseguiu devido a intervenção de um companheiro militar que após uma longa conversa conseguiu desarmá-lo e em seguida levá-lo até a presença do comandante da Companhia, o tenente Flávio que imediatamente o conduziu, logo nas primeiras horas de ontem para o Hospital da policia Militar (HPM).
Só que no HPM, para surpresa do tenente, a direção do HPM disse que não poderia receber o soldado porque o hospital não tinha “suporte” para atender um caso desse. Mesmo com os nervos abalados e tendo sido controlado apenas com conversas dos amigos, o soldado só conseguiu atendimento médico por volta das 18 horas na Clinica São Marcelo.
Aos companheiros de farda, Cledson contou que “sonhava que sua parceira de  serviço tentava matá-lo”.
Essas alucinações e o alto nível de estresse do soldado quase acaba em tragédia.
Um policial militar que passou a informação ao FAXAJU on-line, disse que “eu não consigo entender o que acontece com o hospital da policia militar, o HPM. Primeiro nosso comandante determina que nesses casos o policial deve ser encaminhado para o HPM, só que ai quando a gente chega lá, não recebe atendimento. Isso é lamentável e após esse fato é preciso que nossos gestores agora veja em que situação nós estamos trabalhando. Veja a que ponto chegou esse soldado que graças a Deus, a ação do tenente e de seus companheiros, conseguiram impedir que ele suicidasse”, lamentou o PM.
Uma outra informação passada à redação é que há outros policiais também enfrentando crise depressiva devido ao estresse. Os PMs alegam que o NAPS não consegue atender os policiais, ou seja, os militares trabalham sem ter apoio psicológico e isso pode ser perigoso tanto para o trabalhador da segurança quanto para a população.
FAXAJU


Fonte PolicialBR: http://www.uniblogbr.com/2013/04/policial-militar-apos-ter-crise-nervosa.html#ixzz2Q126Ft1q

PMs: Ministro da Justiça apoia expulsões de policiais


O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu ontem, em entrevista ao EXTRA, a estratégia de combate à corrupção policial do governo do Rio, pautada na expulsão de policiais — nos últimos cinco anos, foram 1.411 PMs e civis demitidos. A exemplo da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, Cardozo defendeu a importância de um acompanhamento dos policiais expulsos.
— Policiais que cometem crime têm que ser expulsos. Somos claramente favoráveis que policiais que cometem desvios graves sejam expulsos. Não posso ter na força pessoas que não tenham compromisso dentro dos princípios que devem orientar ações policiais. Pelo contrário. Defendemos corregedorias fortes que coloquem para fora da força pessoas comprometidas com o crime — afirmou Cardozo.
O posicionamento do ministro buscou amenizar as declarações da secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki. Diante dos resultados da pesquisa, a titular da Senasp afirmou que a PM do Rio é a mais corrupta do Brasil e que a política de expulsões de policiais alimenta a milícia.
— Nós temos (que investir em) políticas que busquem através um caráter mais dinâmico de corregedorias e até de prevenção de ações melhorar a não incidência de criminalidade no corpo policial. E também fazer um acompanhamento natural das pessoas que são desligadas da força, para que elas não atuem no crime sem nenhum tipo de acompanhamento — sugeriu o ministro.
No último domingo, o EXTRA divulgou com exclusividade, no último domingo, dados da Pesquisa Nacional de Vitimização, encomendada pelo Ministério da Justiça e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. O levantamento mostrou que 30,2% das pessoas que disseram ter sofrido extorsão de PMs estão no Rio de Janeiro. A Polícia Civil vem em segundo lugar.
Ontem, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, não quis dizer se irá ou não atender ao convite da Câmara dos Deputados para uma audiência pública para discutir a corrupção policial. A audiência será convocada pela Comissão de Segurança.
Veja outros pontos da entrevista.
Como o Ministério da Justiça contribui para o combate à corrupção policial?
Os estados têm autonomia para isso. Temos buscado colaborar com corregedorias e desenvolver programas em estados que tenham problemas estruturais. O Rio tem desenvolvido bem suas políticas. Temos inclusivo tido ações da polícia do Rio de Janeiro e da Polícia Federal, em vários casos, em que policiais foram presos.
A correição no Rio incide muito mais sobre oficiais do que sobre praças. Por quê?
Não gostaria de falar em tese sobre isso, sem fazer uma análise caso a caso e entender as circustâncias.
Corregedorias independentes são imprescindíveis ou basta uma corregedoria que esteja dentro da hierarquia $Secretaria de Segurança?
Há alguns especialistas que recomendam que a corregedoria tenha autonomia. Outros acham isso prescindível. Alguns estados têm corregedorias autônomas, em que o corregedor tem status de secretário. É uma discussão teórica, mas que deve ser analisada caso a caso para se saber o adequado.
E as ouvidorias?
É importante que o ouvidor tenha autonomia para processar o que colhe. (extra).


Fonte PolicialBR: http://www.uniblogbr.com/2013/04/ministro-da-justica-apoia-expulsoes-de.html#ixzz2Q0v0Z3R2

segunda-feira, 8 de abril de 2013

Homem come cachorra.


INDIVÍDUO É DETIDO APÓS MATAR E TEMPERAR CACHORRO PARA COMER

Na tarde desta sexta feira, 05/04/13, por volta das 15h20min, a Polícia Militar através do Sargento Moacir e os Soldados Bernini, Rosemary e Wendel foram acionados via COPOM 190 onde a testemunha (Issac) informou que seu irmão Jacó Mendes da Silva Cipriano, 20 anos, residente na Rua Eduardo Peres, na Vila Christone, teria matado um cachorro para comer. Conforme acompanhou o REPÓRTER NA RUA, com a chegada dos Policias na residência o irmão do averiguado levou os mesmos até onde estava enterrado parte do animal morto e em seguida mostrou uma bacia em cima da mesa com as partes internas do animal temperadas para comer. O averiguado que estava no banheiro foi detido e confirmou ter matado o animal com uma faca para comer e enterrado o resto. Jacó disse: “É um animal, está na bíblia, todo animal de carne em pé e rachada a gente pode comer, não é um ser humano”. Levado ao 1º DP a Autoridade responsável Dr. Reginaldo Ferreira de Campos determinou a elaboração de Termo Circunstanciado baseado no Artigo 32 Parágrafo 2º da Lei 9.605/98 que trata de animais silvestres e domesticados, sendo o averiguado liberado para responder perante a justiça assim que notificado. (Repórter na Rua).







Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil. É necessário apenas dar crédito à Comunidade dos militares, policiais e bombeiros do Brasil: www.uniblogbr.com

domingo, 7 de abril de 2013

Pm: abono não, queremos dignidade com salário compatível.


Ao invés de salários, Associação dos cb e sd da PMESP pede "ABONO" para Alckmin


* Ao invés de salários, Associação dos cb e sd da PMESP pede "ABONO"


Ficará na história da Associação dos Cabos e Soldados que somente unidos seremos fortes, ontem dia 03/04/2013, o nosso Presidente Cabo Wilson Morais e o Diretores Edmilson Aparecido da Silva, Ronaldo Carlos Scheibel e Jefferson Cintra Barra, estiveram na Assembléia Legislativa de São Paulo, com o Deputado Major Olimpio para discutir sobre os 7.000 mil Policiais Militares que iriam ser prejudicados pelo Projeto do Governo referente ao ALE (Auxilio Local de Exercício), assim, depois de uma reunião com o Deputado, o Presidente Cabo Wilson pediu uma audiência com o Líder do Governo – Deputado Barros Munhoz, aonde foi colocado uma proposta do Presidente Cabos Wilson juntamente com o Deputado Major Olimpio, no sentido de estudar um “ABONO” para os 7.000 Policiais Militares que teriam inclusive prejuízo entre R$ 10,00 a R$ 50,00 reais. O Líder do Governo levará ao  Governador a proposta, entretanto, na noite de ontem os Lideres do Governo e dos Partidos reuniram-se para fechar questão em cima da nova proposta do Governo que será retificada e, ainda votar o projeto do ALE na integra sem as emendas na terça-feira do dia 09/04/2013. (Fonte site da Associação dos cabos e soldados da PMESP).

PM: homem come o dedo do PM


Homem arranca dedo de PM com mordida em confusão na Coelba

Um policial militar acabou perdendo parte do dedo de uma das mãos após uma confusão em um posto da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba), localizado na Rua Euclides Antônio da Cunha, no centro da cidade de Conceição do Coité, a cerca de 200 km de Salvador, na tarde desta sexta-feira, 5.
A confusão começou após um homem, identificado como Egídio Carmo dos Santos, cliente da Coelba, ter feito uma queixa sobre o fornecimento de energia na localidade onde mora, no povoado de Domingos, zona rural do município. Conforme a polícia, Egídio, que estava nervoso, exigiu que o problema fosse resolvido imediatamente, mas foi informado pela atendente que não era possível, pois era preciso fazer um agendamento antes.
Insatisfeito, o homem perdeu o controle e quebrou um dos computadores da unidade. "Ele estava muito nervoso, reclamando de uma falta de energia. Mesmo a solicitação tendo sido feita, ele ficou falando alto e, depois, começou a chutar a mesa e ameaçou quebrar tudo", disse uma funcionária, que preferiu não se identificar.
Um policial de prenome Alan, da 4ª Companhia do 16º Batalhão de Polícia Militar, que passava pelo local no momento da confusão, tentou acalmar os ânimos do cliente, mas não teve êxito. "O agente foi tentar fazer a intervenção e evitar que o elemento quebrasse os objetos da agência, mas acabou sendo surpreendido e teve parte do dedo polegar da mão direita arrancado com uma mordida", disse o Capitão Lessa, da 4º CIA do 16º batalhão.
Uma guarnição teve de ser acionada para ajudar a conter a confusão. Antes de ser levado para a delegacia, Egídio foi encaminhado ao Hospital Regional de Conceição do Coité, onde precisou tomar calmantes. Segundo o Capitão Lessa, ele tem problemas mentais e já se envolveu em outras confusões na cidade.
O policial também foi atendido na mesma unidade de saúde e passa bem. O agente aguarda uma avaliação médica sobre a possibilidade de reconstrução do polegar da mão direita. Já Egídio, que prestou depoimento na delegacia de Conceição do Coité após ser medicado, permanece à disposição da polícia. (Portal a Tarde).

Mulher seminua com farda da PM


Justiça nega indenização à mulher que posou seminua com farda da PM

A Justiça de Videira, em Santa Catarina, decidiu como improcedente o pedido de indenização por danos morais de uma mulher que apareceu em reportagens na imprensa posando para fotos com fardas da Polícia Militar. As imagens foram veiculadas em 26 de junho de 2012, em nove veículos de comunicação catarinenses e nacionais. A autora da ação aparecia vestida apenas com a parte de cima da farda da PM, com munições e uma arma da corporação ao lado de dois homens. A sentença foi proferida em 27 de março de 2013.
O juiz Flávio Luíz Dell' Antônio decidiu que o pedido não era procedente após analisar as provas apresentadas por todas as partes, bem como as imagens e textos divulgados. "Contudo, apesar da publicação de inúmeras fotos de uma mulher, que a Autora afirma ser ela nesta ação, em momento algum foi possível identificá-la", destaca o magistrado.
Na decisão, o magistrado também destacou que a autora pode ter passado por algum constrangimento, já que pessoas conhecidas poderiam tê-la identificado. Apesar disso, Dell' Antônio ressaltou "contudo, convenhamos, quem se sujeita a participar da festa retratada, do jeito tal qual estava vestida, inclusive fazendo pose para ser fotografada, assume o risco de sofrer constrangimento com a divulgação das fotos, o que efetivamente ocorreu, pois elas foram parar em praticamente todos os meios de comunicação".
O inquérito da Polícia Militar sobre o caso indicou que houve transgressão disciplinar, o que não configura crime. Segundo a PM, as fotos foram tiradas pelos próprios policiais em uma festa particular ocorrida no apartamento de um deles. Foi constatado também que eles não estavam trabalhando no momento em que as fotos foram feitas. (G1).

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Desmilitarização da PMs do Brasil.


Organizações lançam petição pelo fim da Polícia Militar



A Rede Nacional de Familiares e Amigos de Vítimas da Violência do Estado lançou uma petição pública neste domingo (29) pela desmilitarização das polícias do Brasil. Após atingir mil assinaturas, a petição será encaminhada à Presidência da República, ao Congresso Nacional, ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).  Para assinar clique aqui.
O pedido é uma reivindicação histórica dos movimentos, e a campanha é um desdobramento da audiência pública realizada na quinta-feira (26), em que entidades de direitos humanos, movimentos sociais e membros do Ministério Público Federal exigiram o fim da Polícia Militar e apoiaram o pedido do Procurador Federal da República, Matheus Baraldi, de afastamento do comando da corporação do Estado de São Paulo.
Recentemente, o Conselho de Direitos Humanos da ONU também recomendou explicitamente que o Brasil trate de “combater a atividade dos ‘esquadrões da morte’ e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de numerosas execuções extrajudiciais”.
Carta à Presidenta
O movimento Mães de Maio junto com a Rede Nacional de Familiares e Amigos de Vítimas da Violência do Estado protocolou na quarta-feira (25), em Brasília, uma carta à presidenta Dilma Rousseff, cobrando 15 medidas que, há seis anos, não saem do papel, dentre elas o acompanhamento federal jurídico e político do crescimento da violência no Estado.
Também pedem um parecer sobre a federalização dos crimes de maio de 2006, abolição dos registros de casos de “resistência seguida de morte” nos inquéritos policiais, tidos como inconstitucionais, e a criação de uma Comissão da Verdade para crimes policiais praticados na democracia.
Em nota, o movimento diz que aguarda a confirmação da Presidência da República sobre a data para a Rede Nacional discutir uma política nacional para os familiares de vítimas do Estado Democrático.
Aumento de homicídios
Pela quarta vez consecutiva, os homicídios aumentaram em São Paulo, contradizendo o governador Geraldo Alckmin que disse em entrevista na terça-feira (23) que os indicadores da criminalidade “iriam cair”.
De acordo com as estatísticas divulgadas na quarta-feira (24) pela Secretaria da Segurança Pública de São Paulo, o aumento foi de 22% em relação ao mesmo período de 2011. Com uma média de 14 mortes por dia, junho foi o período mais violento nos últimos 18 meses, com 134 mortes – aumento de 47% – contra 90 em junho do ano passado.
Segundo a Ouvidoria da Polícia Militar, só a Rota – Ronda Ostensiva Tobias Aguiar – matou 48 pessoas apenas no primeiro semestre na capital paulista. Em comparação com o mesmo período em 2010, os homicídios subiram mais de 100%.
Ao longo dos últimos 30 anos, mais de 1 milhão de pessoas foram assassinadas no país. No período “democrático” brasileiro houve um aumento de 127% no número de homicídios anuais, dos quais as vítimas, em sua maioria, são jovens pobres e negros, conforme demonstram as estatísticas do Mapa da Violência 2012. (Brasil de Fato – da redação José Francisco Neto).
Uniblogbr/AMIGOS DE CASERNA

quarta-feira, 3 de abril de 2013

PMERJ e CBMERJ: recebem hoje a gratificação do RAS.


PLANEJAMENTO E GESTÃO

NOTÍCIAS

GRATIFICAÇÕES

ESTADO DEPOSITA GRATIFICAÇÕES PARA 2.269 BOMBEIROS E PMS


No dia 3 de abril será depositada a gratificação para 2.269 bombeiros e policiais militares.

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) vai depositar nesta quarta-feira, 3 de abril, a gratificação para 2.269 bombeiros e policiais militares que participaram do Regime Adicional de Serviço (RAS) e do Programa Estadual de Integração na Segurança (Proeis).

Deste total, 2.043 são bombeiros militares que participaram em março do RAS, 164 são policiais militares que participaram em fevereiro do RAS na Prefeitura de São João da Barra e 62, PMs que atuaram em fevereiro no Proeis em Macaé. O valor total depositado será de R$ 1.046.607,67.

Os valores recebidos variam de acordo com o posto ocupado, o turno de trabalho e a demanda de segurança do órgão conveniado. Um praça ou graduado da PM recebe R$ 150 e um oficial, R$ 175 pelo turno máximo de oito horas trabalhadas. 

segunda-feira, 1 de abril de 2013

ISENÇÃO DE PEDÁGIO. Projeto de Lei 1023/11, (PL)


Aprovada isenção de tarifa para morador de município com pedágio

O Plenário aprovou nesta terça-feira o Projeto de Lei 1023/11, do deputado Esperidião Amin (PP-SC), que concede isenção do pagamento de pedágio a quem comprovar residência permanente ou exercer atividade profissional também permanente no município em que se localiza a praça de cobrança da tarifa. A matéria deverá ser votada ainda pelo Senado.
O texto foi aprovado com uma emenda do líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), disciplinando a forma de realização do reequilíbrio econômico-financeiro do contrato com a empresa concessionária, para adequá-lo às isenções.
Para o autor do projeto, o mecanismo explicitado pela emenda mostra bom senso. “A sensatez manda que o custo da isenção para os moradores seja pago pelos outros usuários das rodovias. É um projeto que vai engrandecer esse Parlamento, e a iniciativa não é nova”, disse Esperidião Amin, referindo-se aos deputados Bohn Gass (PT-RS) e Arlindo Chinaglia (PT-SP), que também apresentaram proposições semelhantes.
Revisão de tarifa
A proposta permite à empresa concessionária da rodovia reclamar ao poder concedente a revisão da tarifa de pedágio em razão dessa isenção. Essa reclamação terá o objetivo de manter o equilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão se a receita diminuir muito com o benefício.
Entretanto, até que haja uma decisão do poder concedente sobre esse pedido de revisão das tarifas, a isenção não valerá.
Se a decisão for contrária à revisão, o concessionário terá o direito de recorrer a processo amigável de solução de divergência contratual, mas, durante esse período, o benefício deverá ser concedido.
O projeto altera a Lei 9.277/96, sobre delegação de rodovias e portos federais aos estados e municípios.
Valores ou prazo
De acordo com a emenda aprovada, o reequilíbrio econômico do contrato da concessionária do pedágio ocorrerá a partir do primeiro dia no ano subsequente ao da entrada em vigor da futura lei.
O percentual do reajuste deverá corresponder ao volume de isenções em relação ao volume total de veículos que trafegaram no ano anterior.
A critério do poder concedente, poderá ocorrer o aumento do prazo de concessão para atingir esse reequilíbrio.
Cadastro
A matéria havia sido aprovada em setembro do ano passado, de forma conclusiva pelas comissões, mas um recurso concedido pelo Plenário impediu seu envio imediato ao Senado.
Para se beneficiar da isenção, o proprietário deverá ter seu veículo credenciado periodicamente pelo poder concedente do serviço de pedágio e pelo concessionário, conforme procedimentos a serem fixados em regulamento.
Esse benefício valerá também para as rodovias federais que tenham sido concedidas à iniciativa privada, após delegação da União para estados, Distrito Federal ou municípios.
Íntegra da proposta:



Reportagem – Eduardo Piovesan 
Edição – Pierre Triboli

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara Notícias'